Na Flórida, republicanos buscam voto anglo-saxão

Romney e Gingrich concentram-se em americanos de origem branca, que representam 67% do eleitorado do Estado; os de raízes latinas são 16%

DENISE CHRISPIM MARIN , ENVIADA ESPECIAL/ NAPLES, FLÓRIDA, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2012 | 03h01

Depois de dedicar os primeiros dias de campanha na Flórida à busca do voto latino-americano, os principais pré-candidatos republicanos à Casa Branca, Mitt Romney e Newt Gingrich, disputaram no fim de semana a atenção do americano de origem anglo-saxã para a primária de amanhã. O grupo compõe 67% do eleitorado do Estado, enquanto o voto latino representa 16%, segundo pesquisa do Pew Research Center divulgada na semana passada.

Em campanha em dois paraísos da classe média alta do Estado, Naples e Palm Beach, onde o Romney e Gingrich estiveram no fim de semana, promessas para conter a crise imobiliária e eliminar as regulações aplicadas ao mercado financeiro no governo do democrata Barack Obama substituíram as menções ao regime dos irmãos Castro, em Cuba.

Em Naples, na costa do Golfo do México, após recuperar a liderança nas pesquisas de opinião, Romney fez duras críticas à atuação de Gingrich como lobista da Freddy Mac, uma das agências de financiamento imobiliário dos EUA, no auge da crise do subprime. "Seu problema na Flórida está no fato de você ter trabalhado na Freddie Mac na época em que ela não estava fazendo coisas certas para o povo americano", disse o ex-governador de Massachusetts. "E você vendeu influência em Washington na hora em que precisamos de pessoas ao lado da verdade em Washington."

Falando para cerca de mil pessoas, Romney defendeu valores familiares e colocou sua mulher, Ann, para falar sobre a criação de seus cinco filhos. "Eu adoro a fibra moral do Romney, sua história familiar e seu sucesso nos negócios. Essa é a verdadeira ideologia do nosso país", disse ao Estado Tom Patsigi, empresário aposentado de Connecticut, que mora em Naples há cinco anos. Allain Preston, diretor de uma entidade para cegos, está indeciso. "Se a primária fosse hoje, votaria no Homer Simpson", afirmou.

Horas antes, em entrevistas para redes de televisão, Gingrich acusou Romney de ser mentiroso e mal-educado. Na noite anterior, em um jantar organizado pelo partido republicano de Palm Beach, Gingrich preferira concentrar seus ataques no presidente Obama, mas igualmente teve o cuidado de prometer fazer dos EUA um país melhor para "os nossos netos". Romney tem 42% das intenções de voto, contra 31% de Gingrich, segundo pesquisa dos três principais jornais da Flórida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.