Google Street View
Google Street View

Na França, açougueiros contratam seguranças para proteger estabelecimentos contra veganos radicais

Desde o início do ano, a Confederação dos Açougueiros denunciou 12 casos de lojas vandalizadas por ‘antiespecistas’, pessoas que se opõem a qualquer tipo de hierarquia entre as espécies, especialmente entre seres humanos e os animais

O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2018 | 09h22

LILLE, FRANÇA - A tensão entre veganos e açougueiros na França aumentou nesta sexta-feira, 21, depois que o sindicato da categoria anunciou que contratará seguranças para proteger estabelecimentos contra atos de associações veganas neste fim de semana.

O presidente do sindicato dos açougueiros do departamento do Norte disse que vai recorrer a uma "empresa de segurança privada" para proteger suas lojas contra eventuais atos de vandalismo.

"Quatro associações veganas anunciam ações contra nossos estabelecimentos" no sábado e "não é possível não reagirmos e esperarmos tranquilamente suas ações, ou que fechemos nossas empresas para nos protegermos", afirmou Laurent Rigaud, em um comunicado. "Por isso, vamos proteger nossas empresas com uma sociedade de segurança privada. (...) É necessário."

Desde o início do ano, a Confederação Francesa dos Açougueiros denunciou 12 casos de lojas vandalizadas por "antiespecistas", pessoas que se opõem a qualquer tipo de hierarquia entre as espécies, especialmente entre os seres humanos e os animais.

Na região de Hauts-de-France, no norte do país, sete açougues foram pulverizados com sangue falso em abril. Um açougue e uma peixaria tiveram suas vidraças quebradas, e a frase "parem com o especismo" foi escrita na fachada.

Seis pessoas foram detidas no início deste mês por suspeita de participação nos atos de vandalismo contra açougues e peixarias em Lille, também ao norte do país. / AFP

Mais conteúdo sobre:
França [Europa]veganismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.