REUTERS/Mariana Bazo
REUTERS/Mariana Bazo

Na fronteira com o Peru, seis mil venezuelanos aguardam entrada

Imigrantes tentam entrar no país antes do prazo final para obtenção de residência peruana, que termina nesta quarta-feira

O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2018 | 19h53

LIMA - Pelo menos 6 mil venezuelanos fazem fila na fronteira norte do Peru na esperança de entrar no país antes do prazo final para a obtenção de residência, que termina nesta quarta-feira, 31. Segundo ONGs, outros 4 mil devem chegar nos próximos dois dias.

O Peru foi um dos primeiros países a oferecer cartões de residência temporária para os venezuelanos que estão fugindo do país, devastado por uma crise  econômica e política. Os venezuelanos tem se deslocado para o Peru, a Colômbia e o Equador.

Como o número de venezuelanos no Peru subiu para quase meio milhão desde o começo da crise, o governo mudou o prazo do final do ano para o final de outubro. Eles devem entrar no país até quarta-feira para ter direito aos cartões que lhes permitem viver, trabalhar e estudar legalmente no país.

O Peru também começou a exigir passaportes para entrada. Com a chegada do prazo final, um número crescente de venezuelanos tem lotado a fronteira do Peru com o Equador, segundo Abel Chiroque, diretor do gabinete do defensor público na cidade fronteiriça de Tumbes.

“A demanda por serviços é esmagadora e a capacidade de atendê-los entrou em colapso”, disse Chiroque a Reuters, descrevendo os imigrantes que estão na fila por quase 24 horas. “A situação é preocupante”.

Chiroque disse que pediu que o governo distribua senhas para os venezuelanos na fila quando o prazo acabar, para que eles possam pedir documentos de residência posteriormente.

Desde que a economia da Venezuela afundou em uma crise sob o comando do presidente Nicolás Maduro, 1,9 milhão de venezuelanos deixaram o país, segundo as Nações Unidas. Cerca de 90% dos que saíram mais recentemente continuam na América do Sul, segundo a ONU. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.