Na Hungria, recorde de votantes e vitória socialista

Com participação recorde de eleitoresno segundo turno das eleições para o Parlamento da Hungria - 734% do eleitorado compareceu às urnas -, o Partido Socialistaconquistou a maioria das cadeiras que ainda estavam em disputa. A eleição serviu para decidir as vagas que não tiveram votaçãomínima de 50% no primeiro turno, realizado dia 7. Assim, ossocialistas - sucessores do Partido Comunista que governou opaís por 40 anos - ficaram com ganharam 198 das 386 vagasdisponíveis. A Aliança de Democratas Livres, partido aliado aos socialistas elegeu 19 candidatos, enquanto o Partido Cívico Húngaro, decentro-direita e ao qual pertence o atual primeiro-ministroViktor Orban, conquistou 188 cadeiras. Orban recusou-se a fazer qualquer comentário sobre a eleição,dizendo apenas que o resultado "estava nas mãos de Deus".Sobre o comparecimento em peso da população às urnas, oprimeiro-ministro disse que "isso significa que o povo acreditano futuro e quer participar da formação dele". As afirmações vagas de Orban são creditadas a uma "fuga" daruidosa campanha que vem sendo feita a seu favor desde oprimeiro turno. Ele estaria com medo de perder uma eleição em que as pesquisasde opinião dão-lhe vitória fácil contra o banqueiro PeterMedgyessy, candidato a primeiro-ministro pelo PartidoSocialista. Quando foi votar, Medgyessy, mantendo seu estilodiscreto, sorriu largamente, mas também não quis tecercomentários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.