Na Índia, 50 mil se recusam a deixar área alagada

Pelo menos 50 mil pessoas na Índia se recusaram a abandonar suas casas em uma região atingida por alagamentos no norte do país, apesar dos pedidos de autoridades para evacuar a área, afirmou Prataya Amrit, autoridade local, hoje. Propagandas em jornais também pedem para os milhares de sobreviventes das enchentes irem para um dos 77 campos estatais montados no distrito de Saharsa, no empobrecido estado de Bihar, onde há água potável, alimentos e medicamentos disponíveis. As cidades e vilarejos na área alagada têm cerca de 1,2 milhão de habitantes.Os trabalhadores do resgate já evacuaram 900 mil aldeões, mas depois que o nível dos rios recuou 0,6 metros nos últimos dias, milhares começaram a retornar a suas casas, disse Amrit. O rio Kosi, que desce do Himalaia para a Índia, onde se junta com o Ganges, saiu de suas margens em 18 de agosto e mudou drasticamente de curso, movendo-se dezenas de quilômetros para o leste e inundando centenas de quilômetros quadrados de Bihar. Ontem, engenheiros do governo começaram a cavar um novo canal para corrigir o curso do rio. Mas autoridades ainda não afirmaram quando será seguro para as pessoas retornarem para suas casas.A maior parte das áreas deve continuar alagada até o fim das monções, em novembro. Autoridades confirmaram 38 mortes, mas acredita-se que o número final será muito maior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.