Na internet, mil cartuchos de fuzil por US$ 335

Cenário: Nicholas Riccardi / AP

O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2012 | 03h08

Em um mundo onde a loja virtual Amazon rastreia compras de usuários para sugerir novos produtos e onde é preciso se registrar para comprar antialérgicos na rede, James Holmes juntou munição e equipamento à prova de bala durante meses sem despertar a suspeita das autoridades. Holmes não foi muito longe para conseguir seu arsenal. A mercadoria veio até ele - quase tudo foi comprado pela internet. "Somos diferentes de outras culturas", argumenta Dudley Brown, diretor da Rocky Mountain Gun Owners, associação que defende os proprietários de armas. "Nós permitimos aos americanos ter o arsenal que usam nossas Forças Armadas", diz.

Nos EUA, sites como o BulkAmmo.com oferecem promoções do tipo "mil cartuchos de fuzil por US$ 335". No eBay, um capacete blindado das forças especiais sai por US$ 799 - parceláveis no cartão. No dia 2, por exemplo, Holmes pagou US$ 306 por um macacão militar de combate, porta-pentes de pistola e um facão do Exército. O atirador escolheu a opção de envio mais rápida, encurtando em dois dias a chegada da mercadoria. Todas as suas compras foram legais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.