Na Itália, promotoria pede indiciamento de Berlusconi

Promotores italianos pediram hoje que o primeiro-ministro do país, Silvio Berlusconi, seja indiciado pelas acusações de ter pagado para manter relações sexuais com uma adolescente de 17 anos e por ter aproveitado sua influência para encobrir o fato. A promotoria abriu o pedido em Milão. Um juiz deverá decidir se aceita a petição dos promotores e abre o processo contra o premiê de 74 anos ou se recusa o pedido.

AE, Agência Estado

09 de fevereiro de 2011 | 11h19

Berlusconi negou ter cometido um ato ilícito e disse que as acusações têm motivação política. Após a abertura do pedido, ele afirmou que a acusação é "repugnante" e tem como objetivo prejudicar seu governo. Berlusconi conversou com a imprensa em Roma e disse que as acusações são infundadas e que os promotores violaram a lei ao atuar fora de suas jurisdições.

Dezenas de simpatizantes do primeiro-ministro se reuniram para protestar contra a decisão da promotoria, alguns agitando bandeiras italianas durante uma manifestação em frente do tribunal de Milão.

A promotoria pode pedir apenas um julgamento para as duas acusações ou optar por processos separados. Os procuradores alegam que Berlusconi pagou para fazer sexo com uma jovem marroquina chamada Ruby, que atualmente tem 18 anos, e que usou sua influência para libertá-la da prisão, depois que ela foi detida sob suspeita de roubo, supostamente por temer que sua relação com a jovem se tornasse pública. Ruby foi colocada em liberdade e entregue a um assistente de Berlusconi, que também é investigado.

Tanto Berlusconi quanto Ruby negaram que tenham tido relações sexuais. Ele disse que pediu à polícia para libertar a jovem, mas que foi um ato de bondade. Os partidários do primeiro-ministro alegam que ele tomou a medida para evitar um incidente diplomático, já que Berlusconi acreditava que a jovem era sobrinha do presidente egípcio Hosni Mubarak. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.