Na Líbia, forças de Kadafi retomam cidade de Ras Lanuf

Após bombardeio, rebeldes foram forçados a se retirar da cidade portuária

Agência Estado, Reuters e AP

30 de março de 2011 | 08h41

TRÍPOLI - Forças leais ao governante da Líbia, Muamar Kadafi, retomaram nesta quarta-feira, 30, a cidade petrolífera de Ras Lanuf, uma estratégica cidade portuária no leste do país, após um forte ataque com bombardeios. Com isso, os rebeldes contrários ao regime foram forçados a recuar mais para o leste líbio, segundo um correspondente da France Presse.

 

Veja também: 
especialTwitter: 
Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia
blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado
especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia
especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

 

 

Aviões da Otan sobrevoaram a zona onde os mais pesados combates estavam e, segundo um repórter da Associated Press no local, puderam ser ouviram explosões, o que indica uma nova onda de ataques aéreos contra as forças de Kadafi.

 

 

Um rebelde perto da linha de frente disse à AP que os opositores se retiraram Ras Lanouf ao invés de lutar contra as forças regime que estavam se fechando sobre eles.

 

Outro rebelde disse à Reuters que os confrontos ainda estavam ocorrendo na área ao redor da cidade.

 

"Kadafi nos atingiu com foguetes gigantes. Ele entrou em Ras Lanuf", disse o combatente rebelde Faraj Muftah à Reuters, depois de deixar a cidade. "Estávamos no portão oeste de Ras Lanuf e fomos bombardeados", afirmou outro combatente, Hisham.

 

Uma testemunha da Reuters viu muitas caminhonetes 4 x 4 deixando Ras Lanuf rumo ao leste.

 

Um terceiro combatente na área, que não quis ser identificado, disse: "Essa é uma batalha que vai e volta". Ele acrescentou que os confrontos continuavam em Ras Lanuf.

 

Combatentes rebeldes, principalmente forças armadas com armas leves e em caminhonetes, disseram ter sido superados pela potência e alcance das armas de Kadafi.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.