Na Macedônia, líderes tratam da paz

Os líderes dos principais partidos da Macedônia - representantes da maioria eslava e da minoria de etnia albanesa - concordaram nesta quarta-feira em realizar conversações de alto nível para reformar a Constituição, em um esforço para salvar o plano de paz do presidente Boris Trajkovski. O mandatário anunciou o acordo durante uma entrevista coletiva da qual participou também o enviado dos Estados Unidos à região, James Pardew, e seu colega da União Européia, François Leotard, ambos em Skopje, para tentar colocar o plano de paz nos trilhos e, assim, tirar o país de quatro meses de insurgência rebelde. A questão das mudanças constitucionais, que foi levantada pela minoria albanesa, que está lutando por maiores direitos, é apenas uma das medidas contidas no plano de paz proposto pelo presidente Trajkovski. As conversações de alto nível começaram nesta quarta e deverão se estender ao final de semana. O plano do presidente propõe conceder aos albaneses étnicos representação proporcional em instituições públicas, permitir que a língua albanesa seja utilizada em negócios de Estado e a possibilidade de anistiar rebeldes que não tenham cometido crimes. Depois dos intensos conflitos desta terça, a oeste da capital, Skopje, esta quarta-feira foi um dia relativamente calmo na Macedônia, exceto por alguns enfrentamentos próximos a Tetovo, a segunda maior cidade do país. Além disso, a televisão estatal informou que os rebeldes tomaram mais duas vilas próximas à cidade, mas não deu mais detalhes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.