Na ONU, Brasil defende Arafat

O representante do Brasil na ONU, embaixador Ronaldo Sardenberg, afirmou nesta segunda-feira que o Brasil "reconhece no presidente (Yasser) Arafat autoridade legítima e democraticamente eleita pelo povo palestino". A reunião do Conselho de Segurança da ONU, em Nova York, foi convocada especialmente para tratar das ameaças de Israel em expulsar o líder palestino dos territórios ocupados.Segundo Sardenberg, que ocupava o Ministério da Ciência e Tecnologia durante o governo Fernando Henrique Cardoso, o Brasil está "consternado" com as "manifestações explícitas (de Israel) no sentido do assassinato do presidente Arafat". O governo brasileiro também pediu que Israel revertesse sua decisão de expulsar Arafat e sugeriu que as duas partes envolvidas retomem as negociações. Sardenberg disse que o Brasil está disposto a "contribuir com a comunidade internacional para a implementação de iniciativas que possam levar a uma melhora da situação no terreno, inclusive mediante participação em esforço internacional sob a égide das Nações Unidas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.