Na Romênia, coalizão se desfaz com saída de partido

A coalizão de governo da Romênia foi desfeita hoje depois de ministros do Partido Social Democrata deixarem seus cargos em protesto contra a demissão do ministro do Interior. O líder do Partido Social Democrata, Mircea Geoana, disse que nove ministros se demitiram "em solidariedade" a Dan Nica, um integrante do partido que foi exonerado, na segunda-feira, pelo primeiro-ministro Emil Boc, após ter feito comentários sobre a possibilidade de fraudes na eleição de 22 de novembro.

AE-AP, Agencia Estado

01 de outubro de 2009 | 11h55

As declarações foram interpretadas como uma acusação de que o Partido Liberal Democrata, ao qual pertence Boc, pode tentar trapacear para fazer com que o presidente Traian Basescu seja reeleito. Os efeitos da quebra da coalizão vão além da saída dos nove ministros. Milhares de social-democratas perderão seus empregos nos ministérios e na administração em toda a Romênia.

Geoana acusou Basescu de instigar uma crise política antes das eleições, dizendo que ela criou mais incertezas no país. "Jogar a Romênia nesta crise política terá efeitos graves", disse Nica, que também era vice-primeiro-ministro. Ele prometeu que o partido vai voltar ao governo após as eleições presidenciais.

Recessão

O país está em meio a uma profunda recessão e depende de um empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) para pagar os salários dos servidores públicos. Trabalhadores ferroviários, magistrados e funcionários públicos têm realizado protestos e greves nas últimas semanas.

O ministro da Economia Adriean Videanu, do Partido Liberal Democrata, disse que os social-democratas são culpados pela crise e chamou o partido de "hipócrita" por deixar o governo, afirmando que a medida foi tomada por questões eleitorais.

Tudo o que sabemos sobre:
Romêniapolíticacoalizão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.