Na Síria, mais de 1 mil teriam sido mortos, diz grupo

O número de mortos na violenta repressão do governo sírio contra os manifestantes superou mil, disse hoje um importante grupo de defesa dos direitos humanos, a Organização Nacional para os Direitos Humanos na Síria.

AE, Agência Estado

24 de maio de 2011 | 19h30

O chefe do grupo, Amar Qurabi, afirmou que os vários grupos que integram a oposição síria planejam uma conferência na Turquia para encontrar uma voz comum ao movimento contra o governo do presidente Bashar Assad. Qurabi disse que o grupo tem documentados os nomes de 1.062 pessoas mortas pela repressão desde meados de março.

A Síria, um dos regimes mais repressivos do Oriente Médio, abafou a oposição durante anos, banindo os partidos políticos e botando os críticos do governo na prisão. A falta de uma posição estabelecida foi uma das fraquezas dos protestos sírios, que começaram em meados de março. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolênciamortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.