Na Tailândia, 30 mil protestam contra novo governo

Cerca de 30 mil defensores do destituído primeiro-ministro Thaksin Shinawatra se reuniram hoje em Bangcoc para protestar contra o novo governo da Tailândia, que eles acusam de ter assumido o poder de forma ilegítima no mês passado. Mais de 5 mil policiais foram enviados para um parque da cidade, onde a multidão se reunia antes de uma marcha planejada até a Casa do Governo, adotando a tática dos rivais, que ocuparam os principais escritórios do governo por três meses no ano passado.O líder da manifestação, Jakrapob Penkair, fez um pronunciamento à multidão denunciando o governo e acusando o Exército de armar um golpe silencioso para colocá-lo no poder. "Nós passamos por diversas lutas, diversos golpes, mas nenhuma luta é tão importante quanto essa porque temos que brigar para trazer de volta nossa nação", disse. "Como o partido que perdeu as eleições três vezes pode se tornar governo? O Exército nega estar envolvido na instalação deste governo, mas ninguém acredita mais neles."Os manifestantes - conhecidos como Camisas Vermelhas, por causa da cor das roupas que mostram que eles se opõem à Aliança do Povo pela Democracia anti-Thaksin, que se veste de amarelo - planejam apresentar suas exigências quando caminharem até a Casa do Governo. Eles pedem que os envolvidos no cerco aos aeroportos de Bangcoc em novembro sejam demitidos dos cargos no governo e processados, e que o Parlamento seja dissolvido.A polícia informou que não irá intervir no protesto enquanto ele permanecer pacífico. "Há cerca de 30 mil manifestantes em Sanam Luang agora, mas até o momento não há sinal de violência", disse o comandante da polícia, general Anan Srihiran. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.