Na Tunísia, manifestação pede a renúncia do governo

Centenas de pessoas protestaram hoje no centro de Túnis, na Tunísia, pedindo a renúncia do governo e o fim do partido União Constitucional Democrática (RCD, na sigla em inglês). O RCD era o partido governista na Tunísia durante o autoritário regime encerrado na semana passada. "Ben Ali se foi para a Arábia Saudita! O governo deve ir para lá também", gritavam os manifestantes, referindo-se ao ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali, que renunciou abruptamente e fugiu na sexta-feira, após 23 anos comandando o país. Cerca de 400 manifestantes estavam pedindo o fim do RCD. "Nós queremos um novo Parlamento, uma nova Constituição, uma nova República!", gritavam.

AE, Agência Estado

19 de janeiro de 2011 | 11h09

A polícia antidistúrbio montou guarda perto da manifestação na Avenida Bourguiba, no centro da capital do país. Na mesma área houve uma grande manifestação na sexta-feira, com milhares de pessoas, o que levou à queda de Ben Ali. Ontem, manifestações menores ocorreram no local, mas foram contidas pela polícia.

O governo interino tem membros do regime anterior, motivando as críticas da população e de parte da classe política do país. Ontem, quatro ministros renunciaram a seus cargos. O primeiro-ministro Mohamed Ghannouchi e o presidente interino Fouad Mebazaa deixaram o RCD, como parte de uma ação para conter os protestos.

Um ministro do governo, Nejib Chebbi, disse nesta quarta-feira que amanhã ocorrerá a primeira reunião ministerial, em meio às controvérsias pela presença de figuras do regime anterior. "Será amanhã de manhã", revelou Chebbi, ministro do Desenvolvimento Regional na nova administração, que deve durar apenas alguns meses, enquanto a Tunísia organiza eleições gerais.

No Egito, o ministro das Relações Exteriores tunisiano, Kamel Morjane, deixou o país hoje, antes do início de um encontro econômico de países árabes do qual ele participaria. A informação sobre a partida de Morjane foi dada por um funcionário de um aeroporto. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Tunísiacrisemanifestaçãorenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.