Na Turquia, Biden pede foco na segurança energética

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu neste sábado que a Europa continue a diversificar suas fontes de energia para reduzir a dependência da Rússia que, segundo ele, não deveria poder usar suas vastas reservas de petróleo e gás como ferramenta geopolítica.

Estadão Conteúdo

22 de novembro de 2014 | 10h38

"Agora é a hora de agir", disse Biden, falando durante a Cúpula do Conselho Atlântico sobre segurança energética, que acontece em Istambul. "O que acontece na Ucrânia apenas destaca esta urgência."

Rússia, Ucrânia e União Europeia (UE) fecharam no mês passado, após longa discussões, um acordo de US$ 4,6 bilhões que vai garantir o fornecimento de gás russo para a Ucrânia e para a UE.

O acordo aliviou os temores de que a Europa sofreria com o inverno como aconteceu em 2009, quando uma disputa sobre uma dívida da Ucrânia fez com que a Rússia interrompesse o fornecimento de gás para a Europa por quase duas semanas.

Moscou havia cortado o fornecimento de gás para a Ucrânia em junho por causa de uma dívida não paga, medida que foi tomada após a queda do presidente ucraniano Petro Poroshenko, ligado ao Kremlin, e a anexação da Crimeia pela Rússia, em março.

As conversas se arrastaram por cinco meses em meio aos combates no leste da Ucrânia entre insurgentes pró-Rússia e tropas do governo. Mas a proximidade do inverno, uma estação feroz e congelante na Ucrânia, levou urgência às negociações.

"Temos ciência de que esta única fonte de energia tem sido um problema há muito tempo", disse Biden. "Mas minha mensagem não é que a Europa pode ou deve eliminar as importações russas."

Ele afirmou que não tem dúvidas de que a Rússia vai continuar a ser uma importante fornecedora de energia na região. "Falamos sobre segurança energética. Para chegar a ela, a Europa precisa garantir que ela se diversifique", declarou o vice-presidente. "A Rússia pode e deve ser uma participantes, mas tem de jogar de acordo com as regras."

O primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu também falou, destacando importantes projetos de diversificação em curso. "Energia não deveria ser usada como arma...energia é uma ferramenta para a paz", declarou Davutoglu.

Biden deve se reunir ainda neste sábado com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUAEuropaBidenenergiaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.