Nagasaki lembra 57 anos da bomba atômica

O prefeito de Nagasaki, Itcho Ito, acusou hoje os Estados Unidos de usarem a luta contra o terrorismo como desculpa para renegar os acordos para conter a proliferação nuclear. A afirmação foi feita durante a celebração do 57º aniversário do lançamento da bomba atômica que destruiu a cidade japonesa e colocou fim à Segunda Guerra Mundial. "Não podemos perdoar esta série de atos unilaterais por parte dos EUA, que as pessoas dotadas de senso comum em todo o mundo também criticam", disse o prefeito diante de um público de 5,5 mil pessoas. Em seu discurso, pronunciado no Parque da Paz, Ito criticou a saída dos EUA do Tratado Antimísseis Balísticos (ABM), de 1972. Às 11h02 - mesmo horário em que a bomba foi lançada sobre Nagasaki, em 9 de agosto de 1945 - a população fez um minuto de silêncio em homenagem vítimas do ataque, que deixou 70 mil mortos. O ataque a Nagasaki aconteceu três dias após o lançamento de uma bomba atômica sobre a cidade de Hiroshima, também no Japão, onde 140 mil pessoas morreram. Seis dias após o atentado em Nagasaki, o Japão se rendeu, colocando fim à guerra. "Nagasaki precisa continuar sendo o último lugar atingido por um ataque nuclear", afirmou o prefeito.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 15h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.