AP
AP

Nagasaki lembra 64 anos da bomba com apelo antinuclear

Cidade atacada na 2ª Guerra elogia proposta de Obama para conseguir um mundo livre de armas atômicas

Efe,

09 de agosto de 2009 | 09h23

O prefeito da cidade japonesa de Nagasaki, Tomihisa Taue, fez um apelo pelo mundo sem armas nucleares na comemoração do 64+º aniversário do lançamento da bomba atômica pelos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial. Durante a cerimônia o prefeito de Nagasaki respaldou a proposta do presidente americano Barack Obama para conseguir um mundo livre de armas nucleares e lembrou que os habitantes de Nagasaki querem que o presidente americano visite a cidade.

 

A comemoração reuniu na cidade de Nagasaki mais de 3.000 pessoas, que fizeram alguns minutos de silêncio às 11h02, horário do bombardeio americano. O ataque ocorreu três dias depois que o Exército dos Estados Unidos lançou uma bomba similar em Hiroshima. Seis dias depois da explosão de Nagasaki, o Japão se rendeu, pondo fim à Segunda Guerra Mundial.

 

Estima-se que, em Nagasaki, a bomba tenha causado 74 mil mortes até o final do ano 1945. Posteriormente, esse número chegou a 149.266 por conta dos efeitos da explosão.

 

Segundo Taue, o Japão deve liderar iniciativas para estender no mundo os ideais de paz e renúncia da guerra, como consta da Constituição japonesa. "Temos dois caminhos diante de nós: o desafio de perseguir um mundo sem armas nucleares ou outro que nos leve à aniquilação", disse Taue citado pela agência local Kyodo.

 

O primeiro-ministro Taro Aso apoiou as palavras do vereador e disse que se reconhecerá o direito a receber ajudas a outras 306 pessoas afetadas por doenças vinculadas à radiação emitidas pelas bombas.

Tudo o que sabemos sobre:
Nagasaki

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.