Nancy Pelosi é escolhida presidente da Câmara dos EUA

A deputada Nancy Pelosi foi escolhida por unanimidade pelos democratas como próxima presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. Ela será a primeira mulher a assumir o posto que, constitucionalmente, é o segundo na linha de sucessão presidencial - depois apenas do vice-presidente. Apesar de Pelosi desfrutar de um bom momento político, os democratas continuam divididos sobre quem deve ser escolhido como braço direito da líder do Congresso. Pelosi assume oficialmente o posto em janeiro, no lugar do líder republicano Dennis Hastert, e a Casa a elege formalmente na próxima sessão do Congresso. A deputada foi eleita por seu partido logo após os democratas realizarem uma sessão secreta no Capitólio, para escolher seus líderes. No entanto, a escolha do segundo líder da maioria vem causando mais intrigas. Pelosi, que foi a líder da minoria da Casa durante os anos de mando republicano, passou por cima do seu atual vice, e apoiou John Murtha, aliado de longa data, para se tornar o líder da maioria e segundo democrata na Casa. Mas Murtha pode se mostrar um candidato problemático, pois há indícios de que ele teria trocado votos por projetos em seu distrito, e por causa de sua relação com um escândalo de propinas em 1978, no qual ele esteve envolvido, mas não foi acusado. No chamado escândalo Abscam, um agente do FBI fingindo ser um xeque árabe a fim de morar nos EUA e buscando oportunidades de investimento, ofereceu propina a diversos legisladores. Quando ofereceram a Murtha U$ 50 mil dólares, ele teria dito "Não estou interessado. Não por isso." Um comitê de Ética não encontrou provas contra o deputado. Murtha, um ex-marine que normalmente apóia os esforços militares dos EUA, recebeu atenção considerável por suas críticas às políticas de administração na guerra do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.