Nancy Reagan trava batalha contra Bush por células-tronco

O presidente norte-americano George W. Bush e a ex-primeira-dama Nancy Reagan travam uma batalha pública depois do veto do governo ao financiamento federal das investigações sobre células-tronco, que poderiam ajudar o ex-presidente Ronald Reagan, vítima do mal de Alzheimer. Ela não aceita a brusca redução de orçamento determinada por Bush, o que poderia levar a um atraso na descoberta de um tratamento para a doença, segundo publicou neste domingo o jornal o New York Times.Nancy, 81 anos, baseia-se no que diz grande parte da comunidade científica: a investigação de células embrionárias poderia conduzir à cura dessa e de outras enfermidades. Mas, para consegui-las, os cientistas precisam destruir embriões humanos, o que Bush e um amplo setor da comunidade, que inclui os que combatem o aborto, não aceitam. De acordo com o jornal, Nancy Reagan iniciou uma campanha silenciosa para convencer autoridades federais a reverter essa posição. "Perdemos muito tempo", disse ela a um amigo, em declarações reproduzidas pelo jornal. "Muitas pessoas que precisam estão privadas de receber ajuda."A ex-primeira-dama teria entrado em contato pessoal com pelo menos 20 congressistas, alertou responsáveis pela posição do governo e discutiu o tema com cientistas. "Nancy Reagan prestou um grande serviço ao conversar com os senadores sobre a utilização de células-tronco", disse o senador Arlen Specter, republicano da Pensilvânia, que trabalha para reviver a lei que autoriza a clonagem terapêutica, o tipo de investigação que leva à destruição de embriões.De acordo com Specter, a mulher de Reagan é o personagem mais importante na luta pela liberação de financiamento para o setor. "É uma ex-primeira-dama e ocupa uma posição especial por ser uma pessoa persuasiva e por seu marido sofrer de mal de Alzheimer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.