Beawarta/Reuters
Beawarta/Reuters

Não há evidências de terrorismo na queda do avião da AirAsia, diz Indonésia

Investigadores da Comissão Nacional de Segurança no Transporte não encontrou 'ameaças' nas gravações da cabine dos pilotos

O Estado de S. Paulo

19 de janeiro de 2015 | 10h51

JACARTA - Investigadores da Indonésia disseram nesta segunda-feira, 19, não ter encontrado nenhuma evidência até agora de ação terrorista na queda de um avião de passageiros da AirAsia no mês passado, que matou 162 pessoas a bordo.

Andreas Hananto afirmou à agência Reuters que a sua equipe de 10 investigadores da Comissão Nacional de Segurança no Transporte não encontrou "ameaças" nas gravações das vozes da cabine dos pilotos durante o voo QZ8501, da AirAsia.

O Airbus A320-200 desapareceu dos radares em 28 de dezembro, a menos de metade do trajeto de duas horas iniciado na segunda maior cidade da Indonésia, Surabaya, com destino a Cingapura. Não houve sobreviventes.

Quando lhe perguntaram se na gravação havia alguma evidência de terrorismo, Hananto disse: "Não. Porque se houvesse terrorismo, haveria uma ameaça de algum tipo.Naquela situação crítica, a gravação indica que o piloto estava ocupado com o manuseio do avião".

Os investigadores disseram que tinham escutado toda a gravação, mas transcrito apenas cerca de metade."Nós não ouvimos nenhuma voz de outras pessoas que não fossem os pilotos", disse Nurcahyo Utomo, outro investigador. "Não ouvimos nenhum som de tiros ou explosões. Por enquanto, com base nisso, podemos eliminar a possibilidade de terrorismo."

Segundo Utomo, os investigadores puderam ouvir "quase tudo" na gravação que estava em uma das duas caixas-pretas do voo. A outra grava os dados de voo. Ambas foram retiradas dos destroços no fundo do mar de Java.Ele se recusou a dar detalhes sobre o que foi dito durante os momentos finais do voo, citando como impedimento a lei indonésia.As autoridades indonésias disseram que o mau tempo pode ter desempenhado um papel no desastre.

De acordo com Hananto, as evidências também mostram ser improvável que tenha ocorrido uma explosão antes de o avião cair, contrapondo assim uma teoria sugerida por um funcionário da Agência Nacional de Busca e Salvamento na semana passada. "Com base nos dados de voo (gravações) até agora, uma explosão é improvável", afirmou Hananto. "Se houvesse, nós definitivamente saberíamos, porque certos parâmetros do voo mostrariam. Há algo como 1.200 parâmetros." / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IndonésiaAirAsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.