Não há prova de que Saddam queira se desarmar, diz inspetor da ONU

O Iraque intensificou seus esforços para esclarecer as questões pendentes sobre seu programa de armas, mas ainda não há evidência de que Saddam Hussein tenha decidido se desarmar, disse o chefe dos inspetores de armas da ONU, Hans Blix. Ele afirmou que uma série de cartas apresentadas pelo Iraque sobre duas bombas aéreas R-400, uma das quais poderia servir de veículo para armas biológicas, e outro informe de que documentos manuscritos de 1991 sobre a destruição de armas químicas e biológicas haviam sido descobertos são ?interessantes, em potencial?. Mas Blix ressalvou que asa cartas não são ?cooperação plena, e nem um grande avanço?. Ele insistiu que a destruição até sábado - já ordenada pela ONU - dos mísseis Al Samoud 2, seus componentes e motores será um teste importante da cooperação do regime iraquiano. O Iraque insiste que os mísseis não desrespeitam os limites impostos pelas Nações Unidas e pediu consultas técnicas, mas Blix afirma que a questão é inegociável.A falta de cooperação do Iraque com as inspeções pode ser interpretada como violação da resolução 1441 do Conselho de Segurança da ONU, que adverte Saddam Hussein a destruir suas armas ilegais ou enfrentar ?sérias conseqüências?. Uma desobediência clara à resolução por parte do Iraque poderia ser usada pelos EUA como pretexto para lançar uma guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.