REUTERS/Kim Kyung-Hoon
REUTERS/Kim Kyung-Hoon

Não há sobreviventes de naufrágio no rio amarelo, diz China

Prioridade agora é recolocar o navio em sua posição normal o mais rápido possível para resgatar corpos

O Estado de S. Paulo

04 de junho de 2015 | 12h23

PEQUIM  - Autoridades chinesas afirmaram nesta quinta-feira, 4,  que não há esperança de encontrar mais pessoas vivas no navio naufragado há três dias em um trecho do rio Amarelo, no qual viajavam 456 pessoas e apenas 14 sobreviveram.

"Fizemos diversos buracos no casco. Os especialistas constataram que é improvável que haja sobreviventes. Não há esperança de encontrar pessoas com vida", afirmou Xu Chengguang, responsável pela operação de resgate, em entrevista coletiva.

As autoridades decidiram reerguer a embarcação, que virou por causa de um tornado. O número de corpos achados aumentou para 77, segundo informou Xu.

A prioridade agora é recolocar o navio em sua posição normal o mais rápido possível para que seja possível explorar o interior da embarcação recuperar os corpos.

Uma equipe formada por 500 pessoas está encarregada de virar o navio com cabos de aço e ao mesmo tempo fazendo pressão com a ajuda de duas embarcações de 500 toneladas cada. O processo é considerado difícil e já foi iniciado, mas ainda não tem previsão de término, de acordo com as autoridades.

A forte correnteza do rio e a pouca visibilidade na água dificultarão o trabalho dos mergulhadores que terão que enganchar cabos em diferentes partes do navio.  "O trabalho submarino está sendo muito complicado", reconheceu o responsável pela operação.

O naufrágio do "Estrela Oriental", um navio turístico que percorria uma das rotas mais populares na China com diversos passageiros entre 50 e 80 anos, se tornou uma das piores tragédias fluviais do país. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
China

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.