Não jogue flores nos noivos. Pedido da polícia dinamarquesa

Grite seus votos e cumprimentos aos noivos quando eles desfilarem através de Copenhague, em uma carruagem, após o casamento, sexta-feira. Mas não jogue flores, pediu hoje a polícia dinamarquesa.?Uma flor pode se confundir com uma bomba e não queremos causar pânico desnecessário?, disse o porta-voz da polícia, Flemming Steen Munch, à Associated Press, que também quer que o povo não corra atrás da carruagem.A polícia calcula que pelo menos 250.000 pessoas se espremerão nas ruas do centro da capital, e cerca de 3.000 policiais, um terço da força policial da Dinamarca que se alinharão ao longo do trajeto, no esquema de segurança para a cerimônia de casamento do príncipe herdeiro Frederik, de 35 anos, com a australiana Mary Donaldson, 32, dia 14.Como a ameaça do terrorismo pesa sobre a Dinamarca, um aliado chave dos EUA no Iraque, o casamento prevê um forte esquema policial. Os carros serão proibidos no centro, nessa sexta-feira, o espaço aéreo sobre a capital será fechado e a polícia checará quem quer que entre na área carregando qualquer tipo de bagagem, segundo Munch.Avisos colocados no site do departamento de polícia de Copenhague na Web, pedem que os moradores da cidade estejam vigilantes e relatem qualquer fato suspeito.A lista de 800 convidados da nobreza e dignitários convidados para o casamento não será divulgada até a véspera pelo palácio real. Entretanto, o príncipe Naruhito do Japão, o príncipe Edward ? o terceiro filho da rainha Elizabeth ? e sua mulher, Sophie, o governador geral da Austrália, general Michael Jeffrey, e o governador da Tasmânia, Richard Butler já disseram que pretendem assistir a cerimônia na catedral luterana de Copenhague e participar da festa que se seguirá, no Palácio Fredensborg, a 35 quilômetros ao norte da capital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.