REUTERS/Anton Vaganov
REUTERS/Anton Vaganov

Nas eleições russas, sete candidatos contra Putin e uma grande ausência

Alexei Navalni não participará da disputa pois a Comissão Eleitoral rejeitou sua candidatura; conheça os rivais do líder na votação deste ano

O Estado de S.Paulo

16 Março 2018 | 10h26

MOSCOU - O líder russo, Vladimir Putin, enfrentará sete candidatos nas eleições presidenciais de 18 de março, mas não o seu principal opositor, Alexei Navalni, declarado inelegível para o pleito. Saiba mais sobre os rivais do presidente abaixo.

+ Eleições na Rússia: Kremlin e oposição disputam o voto da ‘geração Putin’

+ Em discurso, Putin apresenta novas armas nucleares e um míssil de ‘alcance ilimitado’

Alexei Navalni

Conhecido por suas investigações sobre a corrupção das elites, que foram muito compartilhadas nas redes sociais, o carismático advogado surpreendeu com as grandes manifestações organizadas em 2017 contra o governo.

+ Ex-infiltrada em fábrica russa de notícias falsas conta detalhes sobre exército de trolls de Putin

+ Líder opositor russo diz no Twitter que foi detido novamente pela polícia

Aos 41 anos, confirmou a posição de opositor número um do Kremlin, o único capaz de mobilizar milhares de pessoas contra o poder. Mas a eleição não permitirá medir sua verdadeira popularidade entre os russos, já que a Comissão Eleitoral rejeitou sua candidatura por uma condenação judicial, a qual ele considera fabricada. Navalni defendeu o boicote à eleição, prometeu ações de protesto e deseja mobilizar observadores para monitorar a votação.

Pavel Grudinin

A candidatura surpresa de Pavel Grudinin, de 57 anos, rejuvenesceu o Partido Comunista, que era representado desde o fim da União Soviética (URSS) por Guenadi Ziuganov. O diretor da Sovkhoz Lenin, uma fazenda de frutas que tem faturamento de milhões de dólares, é o adversário mais popular de Putin, mas a uma grande distância, com quase 7% das intenções de voto.

Apesar de criticar algumas políticas do governo e elogiar Stalin, nunca faz ataques pessoais a Putin, a quem apoiou no passado. O interesse provocado por seu nome rendeu uma série de artigos hostis na imprensa pró-Kremlin. Ele denuncia frequentemente as "constantes pressões" das autoridades.

Vladimir Jirinovski

Vladimir Jirinovski, de 71 anos, é o candidato tradicional do partido de extrema direita LDPR. Antiamericano, antiliberal e anticomunista, muitos analistas o consideram um falso opositor ao Kremlin. Já foi descrito nos círculos políticos russos como um "palhaço". Apesar de ter sido marginalizado nos últimos anos, Jirinovski não perdeu a energia oratória. As pesquisas mostram que ele tem 5,7% das intenções de voto.

Ksenia Sobchak

Jornalista de televisão ligada à oposição liberal e ex-estrela de reality show, Ksenia Sobchak, de 36 anos, entrou na disputa com o lema "contra todos". Apesar de ter pouco mais de 1% das intenções de voto, sua candidatura deu vida a uma disputa presidencial decidida de antemão. Ela fez críticas de veemência incomum ao Kremlin nos meios de comunicação federais.

Grigori Yavlinski

Um dos poucos políticos de tendência liberal com algum peso na Rússia, Grigori Yavlinski, de 65 anos, fundou o partido Yanloko pouco depois da queda da URSS. Embora continue sendo um crítico de Putin, sua candidatura presidencial - a terceira - é vista com ceticismo. Ele aparece com pouco mais de 1% das intenções de voto.

Boris Titov

Representante dos empresários russos, Boris Titov, de 57 anos, entrou na disputa presidencial sem ilusões sobre o vencedor, mas com a ideia de "convencer Putin a mudar a economia". Com 0,4% das intenções de voto, defende mais medidas de estímulo econômico e uma normalização das relações com o Ocidente.

Reveja: Ex-espião russo é envenenado

Serguei Baburin

Baburin, de 59 anos, presidente do partido nacionalista União do Povo Russo é praticamente desconhecido entre o grande público e recebe pouca atenção da imprensa. O ex-vice-presidente da Duma, a câmara baixa do Parlamento russo, afirma que luta há mais de 20 anos contra as orientações "neoliberais" das autoridades.

Maxim Suraikin

Poucas pessoas haviam ouvido falar de Suraikin, de 39 anos, antes do anúncio de sua candidatura presidencial. O ex-membro do Partido Comunista rompeu com o grupo para fundar em 2012 o Partido dos Comunistas da Rússia. Seu peso político é considerado mínimo. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Rússia Vladimir Putin Alexei Navalni

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.