Nas últimas 24 horas, 75 rebeldes morrem no Afeganistão

Otan nega que ofensiva com bombadeios e combates por terra deixou vítimas civis ou militares no país

Associated Press e Agência Estado,

13 de setembro de 2007 | 09h23

Episódios de violência em diferentes partes do Afeganistão resultaram na morte de pelo menos 75 pessoas no início do mês sagrado do Ramadã, informaram autoridades locais nesta quinta-feira, 13.    Segundo o comando da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, os 45 insurgentes foram atingidos por bombardeios americanos e em choques com tropas terrestres afegãs ocorridos na quarta em Uruzgan, no sul do país.   A Otan afirma ainda que todos os mortos na ofensiva são rebeldes e não teria havido nenhuma vítima civil ou soldados afegãos e estrangeiros.   Ainda não foi possível verificar a informação junto a fontes independentes porque o episódio ocorreu em uma região bastante remota.   Mais 30 pessoas, supostos rebeldes em sua maioria, morreram em outros episódios de violência ocorridos entre quarta e quinta-feira no país.   Atualmente, a violência no Afeganistão encontra-se no pior nível desde que forças estrangeiras lideradas pelos Estados Unidos invadiram o país no fim de 2001 em resposta aos ataques de 11 de setembro daquele ano.   Mais de 4.300 pessoas já perderam a vida em incidentes relacionados à insurgência desde o início de 2007, segundo dados fornecidos por fontes locais e ocidentais compilados pela Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãorebeldesOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.