Nasa cerca de cuidados pouso de tripulação da ISS

A Nasa reforçou seus preparativos em matéria médica para a primeira aterrissagem de astronautas norte-americanos em nave e solo estrangeiros, como medida preventiva em caso de ferimentos dos três ex-tripulantes da ISS em retorno à Terra.Com a missão espacial de cinco e meio meses quase terminada, o astronauta Kenneth Bowersox e sua tripulação prepararam a cápsula Soyuz, que os levará de volta à Terra.Ao mesmo tempo, os supervisores de vôo da Nasa na capital de Casaquistão revisaram os suprimentos médicos que levaram com eles, de helicóptero, ao local de aterrissagem, 400 quilômetros ao sudoeste, nas remotas estepes do país. O pouso está programado para as 23h07 de sábado pelo horário de Brasília.Foi um final mais tenso que o de costume para uma missão da NASA; não somente pela troca do local de pouso, devido ao desastre do Columbia, mas porque este novo modelo de cápsula Soyuz nunca realizou uma aterrissagem antes.Devida a explosão do Columbia, ?os olhos da população norte-americano, do Congresso e todo mundo estão sobre este aterrissagem?, disse J. D. Polk, cirurgião de vôo especialista em emergência médica. ?Simplesmente não podemos aceitar risco algum agora?, disse.Bowersox, Pettit e Budarin tinham programado regressar à Terra na mais larga e confortável nave espacial, mas tiveram que optar pela Soyuz após a tragédia com o ônibus espacial e a suspensão dos vôos da frota de transportadores da Nasa.Quase dois meses foram adicionados a missão para dar tempo de checar e colocar o transportador russo Soyus a disposição da tripulação.O astronauta Edwarde Lu e o cosmonauta Yuri Malenchenko chegaram à estação espacial na semana passada para uma missão de seis meses. A tripulação, de inicialmente três pessoas, foi reduzida para poupar suprimentos e evitar vôos freqüentes dos ônibus espaciais.Além de um kit médico usual, Polk levou para o Casaquistão, um desfibrilador, um monitor cardíaco e um equipamento de reanimação para traumatismo.Além disso, médicos da força aérea norte-americano foram destacados na área de aterrissagem, com uma sala de operações portátil, enquanto alguns centros médicos Europeus foram postos em alerta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.