NASA corta laços com a Rússia, exceto na ISS

Depois de insistir que as relações espaciais não seriam alteradas por políticas terrenas, a Agência Espacial Americana (NASA) anunciou na quarta-feira que cortará os laços com a Rússia, exceto no que diz respeito à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

AE, Agência Estado

03 de abril de 2014 | 11h46

Funcionários da NASA não poderão viajar para a Rússia ou hospedar visitantes russos até novo aviso. Eles também estão impedidos de enviar e-mails ou fazer teleconferências com astronautas russos por causa das ações da Rússia na Ucrânia, de acordo com um memorando enviado aos trabalhadores.

As atividades relacionadas à estação espacial são exceções. A NASA e a Agência Espacial Russa "continuarão trabalhando juntas para manter operação segura e contínua" da estação espacial, disse a NASA em comunicado divulgado ontem.

Desde a aposentadoria do ônibus espacial, a Nasa tem dependido da Rússia para pegar carona para o posto avançado em órbita, pagando cerca de US$ 71 milhões por um assento na nave Soyuz.

Após o memorando vazado na quarta-feira, a NASA confirmou a suspensão da maioria dos contatos com a Rússia. Mas aproveitou para criticar o Congresso dos EUA, observando que não seria dependente da Rússia para voar à estação espacial se o seu financiamento não tivesse sido cortado. A agência disse que está buscando empresas privadas de foguetes para transportar astronautas em 2017. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.