Nasrallah anuncia protestos pacíficos para derrubar governo

O líder do movimento libanês xiita Hezbollah, o xeque Hassan Nasrallah, reiterou neste domingo sua exigência da formação de um gabinete de união nacional no Líbano e prometeu manifestações "pacíficas" para derrubar o atual governo. "Organizaremos manifestações até que caia o governo de (Jeffrey) Feltman" (embaixador dos Estados Unidos no Líbano), disse Nasrallah em um discurso perante milhares de seguidores que foi retransmitido pelos meios de comunicação libaneses. "Devemos estar preparados psicologicamente para quando houver manifestações, que não serão anunciadas com duas ou três semanas de antecedência, mas seis ou 12 horas antes", afirmou. "A oposição deve ser nacional e nosso movimento será pacífico e não violento", afirmou Nasrallah, acrescentando que "não há motivo para atos violentos, nós respeitamos todos". "Não queremos problemas nem provocações", acrescentou. Ao se referir à possibilidade de sofrer algum ataque do Exército, disse que não responderá porque seus membros são "nossos irmãos". "Não queremos o caos, queremos proteger o povo, temos linhas vermelhas: A guerra civil está proibida, assim como os conflitos internos e religiosos", afirmou. "Podemos ficar duas ou três semanas na rua até que o governo de Feltman caia." Nasrallah negou as acusações de que os ministros xiitas do Amal e do Hezbollah se retiraram do governo para não aprovar a criação de um tribunal internacional. Os seis ministros pró-sírios que abandonaram na semana passada o governo libanês exigem a formação de um gabinete de união nacional onde contem com pelo menos oito ministros. Porém o primeiro-ministro Fouad Siniora, pró-ocidental, tem se negado a atender a reivindicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.