Nativos da Ilha de Páscoa recuperam terrenos e hotel

Os integrantes da comunidade rapa nui da Ilha de Páscoa conseguiram recuperar terrenos e um hotel de luxo que ocuparam durante mais de seis meses e de onde foram desalojados por uma violenta repressão policial sem precedentes no local.

AE, Agência Estado

18 de fevereiro de 2011 | 20h55

O ministro de Interior do Chile, Rodrigo Hinzpeter, anunciou hoje que a família proprietária dos terrenos e do hotel, avaliados em US$ 40 milhões, decidiu cedê-los a uma fundação administrada pelos nativos, com a condição de que possam explorar o complexo durante 30 anos.

"A família Schiess, proprietária do hotel, comprometeu-se a doá-lo a uma fundação ou corporação que será dirigida pela comunidade rapa nui", anunciou o ministro. Uma lei de propriedade indígena proíbe que qualquer pessoa que não integre a comunidade rapa nui seja dona de terrenos na Ilha de Páscoa, situada no Oceano Pacífico, a cerca de 3.500 quilômetros da costa chilena. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ChileIlha da Páscoapropriedade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.