Ignatius Martin/Miquicar Photostudio / AP
Ignatius Martin/Miquicar Photostudio / AP

Naufrágio de barco com 189 pessoas a bordo nas Filipinas deixa mais de 30 mortos

Embarcação afundou em razão do mau tempo; 127 passageiros foram resgatados, entre eles três americanos e um canadense

O Estado de S. Paulo

02 de julho de 2015 | 09h01

MANILA - Um barco com 189 passageiros naufragou nesta quinta-feira, 2, ao ser atingindo por grandes ondas na região central das Filipinas, logo após deixar o porto de Ormoc em direção às ilhas Camotes. Pelo menos 36 pessoas morreram e outras 21 estão desaparecidas, de acordo com a guarda costeira filipina.

O porta-voz da guarda costeira, Armand Balilo, afirmou que pelo menos 127 pessoas foram resgatadas por barcos pesqueiros ou funcionários da guarda costeira. Entre os passageiros resgatados estão três americanos e um canadense. 

O capitão e alguns tripulantes estão sob custódia da polícia aguardando investigação.

Sobreviventes relataram que a proa da balsa, feita de madeira, ergueu-se da água antes de o barco virar para um lado e começar a naufragar. 

A agência meteorológica das Filipinas (Pagasa) advertiu nesta quinta os pescadores sobre o perigo de se navegar na região de Visayas Oriental, onde fica Ormoc, devido à tempestade tropical Egay, que causou chuvas e ventos de até 45 km/h para a região.

As autoridades continuam os trabalhos de resgate, mas as condições meteorológicas não favorecem as operações, informou a emissora de televisão local ANC.

Histórico. Dezenas de pessoas morrem todos os anos em acidentes marítimos nas Filipinas, a maioria em naufrágios causados pelo mau tempo, descumprimento das normas de segurança, manutenção deficiente dos equipamentos e pela sobrecarga das embarcações.

O acidente mais grave na história moderna da navegação comercial aconteceu nas Filipinas, em 1987, quando a embarcação Doña Paz, que zarpou de Leyte, naufragou após colidir com um petroleiro e 4.341 pessoas morreram. /AP e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
FilipinasnaufrágioOrmoc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.