Naufrágio de dois barcos mata pelo menos 22 imigrantes na Grécia

Pessoas tentavam entrar no país sem autorização; buscas por mais sobreviventes continuam

O Estado de S. Paulo,

05 Maio 2014 | 05h25

Embarcação é levada ao portode Vathi - Foto: Stelios Demertzis/Efe

(Atualizada às 11h55) ATENAS - O naufrágio de duas embarcações no Mar Egeu nesta segunda-feira, 5, deixou pelo 22 pessoas mortas e sete desaparecidas. Os barcos levavam imigrantes que tentavam entrar sem autorização na Grécia, informaram autoridades do país. Ao menos 36 pessoas foram resgatadas.

O acidente aconteceu perto da ilha de Samos, perto da costa da Turquia, no começo da manhã. Uma embarcação de 10 metros de comprimento e um pequeno barco de dois metros viraram por causas ainda desconhecidas. O mar estava relativamente calmo e o vento não passava dos 5 graus na escala de Beaufort.

Segundo a Guarda Costeira, quatro corpos, entre eles o de uma criança, foram encontrados na água e outros 18 foram achados dentro de uma das duas embarcações. Segundo a imprensa local, entre os mortos presos no porão do barco, estavam três crianças, 11 mulheres e quatro homens.

De acordo com os testemunhos das 36 pessoas resgatadas e transferidas ao porto de Vathí, nas duas embarcações naufragadas havia em torno de 65 pessoas. A Guarda Costeira informou que dos resgatados, 32 são homens, três mulheres e uma criança. Um menino foi hospitalizado em Atenas com sintomas de hipotermia.

O primeiro corpo foi localizado por volta das 4h da madrugada (horário local) pelo cruzeiro Adamora, que passava pelo local e imediatamente pediu socorro.

Segundo o prefeito de Samos, Stylianos Thanos, a maior embarcação foi arrastada ao porto de Vathí, para ser retirada da água. "Infelizmente o pior dos cenários se concretizou, pois 18 pessoas foram encontradas mortas no porão do barco", disse Thanos.

O prefeito disse que a busca continua com vários pesqueiros e um helicóptero da Guarda Costeira, porque ainda podem haver desaparecidos. "Desde 2010 não acontecia tamanha tragédia em nossa ilha", lamentou Thanos.

Desde que a Grécia ergueu uma cerca em sua fronteira terrestre com a Turquia, o mar se tornou novamente uma das principais portas de entrada para os imigrantes que buscam entrar na União Europeia./ EFE

Mais conteúdo sobre:
Grécia naufrágio imigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.