Naufrágio em Lampedusa é uma vergonha, diz papa

O papa Francisco expressou pesar pelas vítimas do naufrágio ocorrido próximo a ilha de Lampedusa nesta quinta-feira, onde morreram ao menos 114 imigrantes africanos que tentavam chegar à Europa em busca de uma vida melhor.

AE, Agência Estado

03 de outubro de 2013 | 15h30

"É preciso lembrar com muita dor as numerosas vítimas de mais um trágico naufrágio ocorrido hoje nas águas próximas a Lampedusa", disse Francisco, discursando durante cerimônia religiosa. Emocionado, o pontífice interrompeu o discurso que estava lendo e afirmou ser "natural pensar na palavra vergonha. Essa é uma vergonha".

"Rezemos juntos a Deus para os que perderam a vida. Homens, mulheres e crianças. Para os familiares e para todos os que fogem em busca de uma vida melhor. Unamos esforços para que não se repitam tragédias desse tipo. Somente com a colaboração de todos é possível ajudar a evitá-las", concluiu Francisco.

Desde o começo de seu pontificado, o Papa mostrou-se a favor de uma mudança nas leis de imigração na Itália, pedindo maior abertura para os imigrantes. Francisco escolheu Lampedusa como destino de sua primeira viagem apostólica, a primeira de um Papa à Ilha do Mediterrâneo, ponto de passagem para milhares de imigrantes que tentam chegar à Europa. Na ocasião, o Papa celebrou uma missa e homenageou as vítimas de naufrágios em uma cerimônia realizada em um barco.

Tudo o que sabemos sobre:
ITÁLIAACIDENTENAVIOPAPA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.