Nave chinesa se acopla a módulo espacial

A tripulação da missão Shenzhou 9, que inclui uma astronauta, fará testes científicos na estação por 8 dias

PEQUIM, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2012 | 03h08

Três astronautas chineses conectaram ontem com sucesso a nave Shenzhou 9 ao módulo Tiangong 1, na primeira missão de acoplagem tripulada e primeira viagem com uma astronauta chinesa mulher, Liu Yang.

Após a acoplagem, os astronautas entraram no centro de operações do módulo, no qual realizarão experiências científicas por oito dias, na missão espacial mais longa da China. O lançamento foi anunciado em fevereiro, mas na ocasião foi informado que seria uma nave não tripulada, que levaria animais e sementes a bordo, para realizar experiências em condições de gravidade.

É a quarta viagem tripulada da China depois das realizadas em 2003 e 2005 e do passeio espacial de 2008. A viagem é um passo importante para a construção de uma estação espacial chinesa, prevista para 2020.

A designação de Liu Yang foi anunciada na semana passada após um longo processo de seleção que deu preferência a mulheres casadas e com filhos (embora esse não seja o caso de Liu), pois o voo espacial e a possível exposição à radiação podem provocar infertilidade.

Os critérios da escolha são rigorosos. A pessoa escolhida tinha de ter, entre várias exigências, dentes perfeitos, pele sem problemas, bom hálito e odor corporal agradável, pois se acredita que o contrário pode ser um problema durante a permanência no espaço. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.