Nave espacial russa explode antes de chegar à órbita

Um cargueiro espacial russo não tripulado que levava suprimentos para a Estação Espacial Internacional não conseguiu atingir sua órbita nesta quarta-feira e explodiu. Pedaços da nave caíram na Sibéria, disseram funcionários do governo. Um breve comunicado da Roscosmos, a agência espacial russa, não dá detalhes sobre a perda da nave de abastecimento Progress, que havia sido lançada da base de Baikonur, no Casaquistão.

AE, Agência Estado

24 de agosto de 2011 | 15h04

Mas a agência de notícias estatal RIA Novosti citou Alexander Borisov, chefe da região de Choisky, na região da província de Altai, dizendo que peças da nave caíram a cerca de 1.500 quilômetros do local do lançamento. "A explosão foi tão forte que a 100 quilômetros os vidros quase pularam das janelas", disse ele . Segundo Borisov, não havia relatos de vítimas.

Não foi possível entrar em contado com o Ministério de Emergências russo. Um funcionário da assessoria de imprensa da Roscosmos, que não quis se identificar, disse que a agência não tinha comentários a fazer. Mas a Roscosmos informou que o terceiro estágio do foguete da nave falhou poucos minutos após o lançamento. A nave levava 2,5 toneladas de suprimentos, incluindo oxigênio, alimentos e combustível. Desde o final do programa de ônibus espaciais norte-americano, as naves russas são o principal meio para abastecer a Estação Espacial Internacional. Foi o 44º lançamento da Progress para a estação espacial.

Segundo a Roscosmos, o acidente "não deve ter influência negativa" sobre os tripulantes da Estação Espacial Internacional pois os estoques de alimentos, água e oxigênio são suficientes. Nos Estados Unidos, a Nasa disse que o foguete parecia funcionar perfeitamente na decolagem, que aconteceu no horário previsto, mas houve perda de contato com o veículo depois de apenas cinco minutos de voo.

A Nasa depende da Rússia, bem como do Japão e da Europa para manter o abastecimento da estação espacial, agora que os ônibus espaciais foram aposentados. O programa foi encerrado em julho com a última missão do Atlantis, quando suprimentos suficientes para um ano foram entregues à estação espacial.

No momento há seis astronautas a bordo a Estação Espacial Internacional, que está numa órbita a 350 quilômetros da Terra. Eles são os russos Andrei Borisenko, Alexander Samokuyayev e Sergei Volkov, os norte-americanos Michael Fossum e Ronald Garan e o japonês Satoshi Furukawa. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RÚSSIAESPAÇO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.