Nave obteve amostras de asteroide, diz agência japonesa

Uma nave espacial japonesa que retornou à Terra em junho conseguiu recolher pó de um asteroide pela primeira vez na história, revelaram cientistas hoje. A agência espacial japonesa (JAXA) informou que a análise das amostras trazidas pela nave Hayabusa demonstrou que algumas delas vinham de um asteroide chamado Itokawa, o que poderia oferecer pistas sobre a criação do sistema solar.

AE, Agência Estado

16 de novembro de 2010 | 11h57

O material representaria somente o quarto conjunto de exemplares trazidos do espaço à Terra na história, depois da matéria lunar recolhida pelas missões Apollo, de um material de um cometa obtido pela nave Stardust e de matéria solar conseguida pela missão Gênesis.

A cápsula da espaçonave aterrissou com êxito em terras australianas em junho, após passar sete anos no espaço e ter percorrido uma rota de 6 bilhões de quilômetros. "Esses resultados superaram nossas expectativas. Não estou seguro de como expressar algo que supera os sonhos de alguém, mas estou cheio de emoção", disse o dirigente do projeto, Junichiro Kawaguchi.

A JAXA analisou 1.500 partículas microscópicas da cápsula e determinou que quase todas provinham do asteroide, por causa de sua composição mineral, informou a agência em comunicado. A JAXA planeja ainda analisar componentes menores. Lançada em 2003, a Hayabusa chegou a Itokawa em 2005. Após tomar fotos do asteroide de 500 metros de largura, a espaçonave aterrissou sobre ele duas vezes, em novembro de 2005.

Origem do universo

A Hayabusa retornou novamente à Terra após sofrer uma perda de combustível e perder contato durante sete semanas. A JAXA informou que o objetivo do projeto de US$ 200 milhões é entender sobre a origem e a evolução do sistema solar.

Os cientistas esperam estudar quando e como se formou o asteroide, suas propriedades físicas, com que tipo de organismos ele esteve em contato e como foi afetado pelo vento e pela radiação. Especialistas da Agência Espacial Norte-americana (Nasa) e da Austrália também participam da missão. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
espaçouniversonaveasteroideJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.