Navio afunda na Grécia com dois passageiros desaparecidos

Depois de um longo e lento processo, o navio de cruzeiro "Sea Diamond" afundou neste domingo na costa da ilha grega de Santorini. Agora, mergulhadores da marinha vasculham o interior do navio em busca dos corpos de dois passageiros franceses, pai e filha, desaparecidos desde a missão de resgate em que quase 1600 pessoas foram retiradas da embarcação.A retirada de passageiros e tripulantes demorou mais de três horas, mas alguns passageiros se queixaram da falta de coletes salva-vidas, de orientação de membros da tripulação e de terem sido forçados a descer por escadas de corda para a segurança."A tripulação estava mais assustada do que nós", disse LizbethMata, uma jovem de 15 anos da República Dominicana que estava em viagem com seus pais e irmão.O navio de 143 metros atingiu rochas de origem vulcânica na costa da ilha grega na quinta-feira, dia 5, em uma cratera submersa formada em uma erupção há 3500 anos, a meio quilômetro da costa, pouco antes de atracar.O capitão e cinco oficiais foram intimados a comparecer diante de um promotor público na ilha de Naxos, para fazer uma declaração forma de sua versão dos eventos, o que é um procedimento padrão no caso de incidentes do tipo. Acusações não foram feitas, já que as investigações ainda estão no estágio inicial.DesaparecidosOs passageiros franceses que não estavam entre os evacuados do navio foram identificados como Jean-Christophe Allain, 45, e sua filha Maud, de 16 anos. Mergulhadores vasculharam a embarcação em busca de seus corpos.O ministro Fanny Palli Petralia, que falou com a esposa de Allain, disse que a cabine da família foi tomada pela água quando o navio atingiu o recife vulcânico."Ela não estava cerca de que sua filha e marido conseguiram sair porque as coisas aconteceram muito rápido. Sua outra criança estava no convés e eles foram evacuados com segurança", afirmou Petralia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.