Navio com 29 marinheiros chineses é sequestrado no Mar da Arábia

A China já entrou em contato com as autoridades internacionais para organizar o resgate

Efe,

13 de novembro de 2010 | 04h21

O Centro de Resgate Marinho da China confirmou o sequestro do navio Yuan Xiang, com bandeira panamenha e 29 marinheiros chineses a bordo, no mar da Arábia, na parte norte do oceano Índico.

Segundo a agência oficial Xinhua publicou neste sábado,13, o organismo de controle perdeu o contato com o navio na noite de sexta-feira (pelo horário local) e o paradeiro dos marinheiros ainda é desconhecido.

Os últimos dados disponíveis são da companhia Ningbo Hongyuan Ship Management, proprietária da embarcação, que emitiu uma mensagem às 13h26 de sexta-feira (horário de Brasília) alertando sobre o sequestro e informando que os piratas estariam levando o navio para águas da Somália.

A China já entrou em contato com as autoridades internacionais antipirataria e a Marinha dos países com representações na zona para organizar o resgate, apesar da dificuldade causada pelo fato de o Mar da Arábia ficar fora da região patrulhada pelos navios do Exército de Libertação Popular (ELP).

A China faz parte do grupo de países que enviaram nos últimos anos patrulheiras militares às águas do Golfo de Áden e também em missão especial para combater o aumento da pirataria na costa da Somália.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaSequestroOEAYuan Xiang

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.