Olmo Calvo/AP Photo
Olmo Calvo/AP Photo

Navio com 308 imigrantes chega à Espanha após não ter permissão para aportar em Malta e Itália

Pessoas de 19 diferentes nacionalidades estavam na embarcação e teriam direito de pedir asilo, segundo diretor da ONG Proactiva Open Arms, responsável pelo resgate perto da costa da Líbia

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2018 | 11h02

MADRID - Um navio de resgate com 308 imigrantes chegou nesta sexta-feira, 27, ao porto de Algeciras, na Espanha, após permanecer uma semana em alto-mar e não ter permissão para aportar em Malta e na Itália na semana passada - uma mãe e um recém-nascido, no entanto, foram levados para Malta de helicóptero.

Os imigrantes foram resgatados nas águas perto da Líbia pelo organização sem fins lucrativos Proactiva Open Arms. Oscar Camps, chefe da organização, disse que os imigrantes resgatados incluem pessoas de “19 diferentes nacionalidades, com muitas pessoas com o direito de pedir asilo”.

A polícia espanhola e funcionários da Cruz Vermelha ajudaram no desembarque, montando tendas para fazer inspeções médicas.

Em junho, o governo da Espanha, do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), abriu os portos para o barco de resgate da SOS Mediterrâneo e dos Médicos Sem Fronteiras, com mais de 600 imigrantes depois que a Itália negou o pedido para o barco aportar em seus portos.

A imigração ilegal pelo mar para a Europa caiu acentuadamente desde 2016, mas a taxa de chegada à Espanha mais que dobrou em 2018, para mil pessoas por semana.

De acordo com a agência de refugiados das Nações Unidas, mais de 2,2 mil imigrantes morreram neste ano tentando cruzar o Mediterrâneo em barcos de traficantes. Em torno de 119 mil chegaram à Europa. / AP e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Espanha [Europa]imigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.