Ahmad Masood/Reuters
Ahmad Masood/Reuters

Destróier americano colide com navio petroleiro em Cingapura; 10 marinheiros estão desaparecidos

O acidente foi o segundo envolvendo embarcações militares dos EUA e navios mercantes em águas asiáticas em pouco mais de dois meses

O Estado de S.Paulo

21 Agosto 2017 | 00h26
Atualizado 21 Agosto 2017 | 11h10

CINGAPURA - Um navio militar dos EUA colidiu com um petroleiro a leste de Cingapura nesta segunda-feira, 21, abrindo um buraco em seu casco abaixo da linha da água e provocando o alagamento de compartimentos. O acidente deixou 10 marinheiros desaparecidos, informou a Marinha americana.

A colisão entre o destróier de mísseis teleguiados USS John S. McCain e o petroleiro Alnic MC foi a segunda envolvendo embarcações militares americanas e navios mercantes em águas asiáticas em pouco mais de dois meses.

Os dois navios bateram no momento em que a embarcação americana seguia para Cingapura para uma parada de rotina em um porto, de acordo com a Marinha. "Relatos iniciais indicam que o John S. McCain sofreu danos em sua lateral", disse a Marinha. "Há, no momento, 10 marinheiros desaparecidos e 5 feridos."

As autoridades de Cingapura enviaram vários navios e helicópteros para ajudar o destróier americano. O ministro de Defesa do país, Ng Eng Hen, disse em um comunicado que helicópteros Super Puma da Força Aérea local haviam transportado "os feridos desde o navio para o Hospital Geral de Cingapura".

Hen detalhou que "duas patrulheiras, o RSS Gallant e o RSS Resilience; uma fragata, o RSS Intrepid; dois Super Pumas e um helicóptero Chinook estão cooperando". A Malásia também ajuda com três navios, o KD Handalan, o KD Gempita e o KD Lekiu, e um helicóptero SuperLyns.

O destróier americano seguiu para a base naval Changi nesta segunda-feira por meios próprios, apesar da colisão.

O dano significativo no casco resultou no alagamento de compartimentos, incluindo a área de acomodação da tripulação, maquinaria e sala de comunicações, de acordo com a Marinha, mas os tripulantes conseguiram evitar um alagamento ainda maior.

Quatro dos feridos foram levados de helicóptero do navio para um hospital em Cingapura sem risco de morte, e o quinto não precisou ser hospitalizado.

O navio irmão do USS John S. McCain, o USS Fitzgerald, quase afundou na costa do Japão após ser atingido por um navio de contêineres das Filipinas no dia 17 de junho. Os corpos de sete marinheiros do USS Fitzgerald foram encontrados na alagada área de acomodação da embarcação. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.