Navio de cruzeiro atinge iceberg na Antártida; não há feridos

Um grupo de 100 pessoas, entrepassageiros e tripulantes, escapou ileso depois de o navio decruzeiro em que estavam ter começado a afundar na Antártidaapós se chocar com um iceberg, afirmaram na sexta-feira umaautoridade da guarda costeira da Argentina e o proprietário daembarcação. Uma embarcação norueguesa de passageiros presente na árearetirou os ocupantes do M/S Explorer dos botes salva-vidasusados para escapar do navio, que se acidentou perto da ilhaKing George, na Antártida, às 5h24 GMT (3h24 em Brasília),afirmou a empresa responsável pela utilização do cruzeiro. O capitão Arnvid Hansen, do navio de cruzeiro norueguêsNordnorge, disse que conseguiu resgatar todos os passageiros etripulantes presentes nos botes salva-vidas e que todospareciam estar bem de saúde. "Estão todos a bordo da minha embarcação", afirmou Hansenao canal de TV BBC. "Não há nenhum passageiro em pânico oucoisas do tipo." "Aparentemente, eles chocaram-se com um iceberg", afirmouPedro Tuhay, da guarda costeira da Argentina, a uma rádio localenquanto prosseguiam os esforços para salvar o navio. "Aembarcação apresenta uma inclinação de 23 graus, mas está semantendo estável." Susan Hayes, porta-voz da empresa de viagens canadense GapAdventures, proprietária do navio, afirmou à CNN: "A embarcaçãosaiu de Ushuaia, na Argentina, e viajava para a Antártida.Perto da ilha King George, ela chocou-se com um iceberg e aágua começou a entrar nela." Em um comunicado, a empresa disse que um total de cempassageiros e tripulantes encontrava-se a bordo do navio.Informações anteriores davam conta de 154 ocupantes naembarcação, mas um porta-voz disse que essa cifra referia-se àcapacidade máxima de ocupação do navio. Entre os passageiros, segundo a Gap Adventures, estavamnorte-americanos, britânicos, canadenses, australianos,holandeses, japoneses, argentinos e pessoas de outrasnacionalidades. O navio, construído em 1969, carregava 85 passageiros e 15tripulantes em um cruzeiro que terminaria no dia 29 denovembro, afirmou um porta-voz da empresa. O Explorer costuma realizar viagens de duas semanas pelaregião da Antártida, ao preço de 8.000 dólares por cabine.Menor que a maioria dos navios de cruzeiro, essa embarcaçãoconsegue entrar em baías mais estreitas do continente gelado. A ilha King George localiza-se 1.127 quilômetros ao sul docabo Horn, no extremo sul da América do Sul, e é a maior dasIlhas Shetland do Sul. (Reportagem adicional de Peter Graff, Luke Baker e DavidClarke em Londres)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.