Navio de passageiros italiano impede ataque de piratas

O pequeno barco branco se aproximou do navio de passageiros italiano Melody depois do jantar quando a embarcação estava ao norte das ilhas Seychelles. Os piratas dispararam diversas vezes contra o navio que carregava 1.500 pessoas a bordo. O que os piratas não esperavam era que, no escuro, a tripulação iria revidar.

AE-AP, Agencia Estado

26 de abril de 2009 | 21h01

A direção da MSC Cruises decidiu incluir seguranças israelenses em todas as suas viagens, disse o diretor da empresa, Domenico Pellegrino. Esses homens revidaram o ataque pirata com tiros de pistola e mangueiras de água, evitando que eles embarcassem no navio, disse Pellegrino. "Foi uma operação de emergência", disse ele. "Eles não esperavam uma resposta tão rápida. Eles foram surpreendidos."

Os passageiros receberam orientação para voltarem para suas cabines e as luzes do deck foram apagadas. A embarcação navegou apagada e foi, eventualmente, escoltada por um navio de guerra espanhol. "Eu me senti como se estivéssemos numa guerra", disse o comandante italiano da embarcação, Ciro Pinto, a uma rádio italiana. Nenhum dos cerca de mil passageiros ficou ferido.

Tudo o que sabemos sobre:
PiratasQuênia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.