Navios do Irã levam armamentos para Gaza, diz jornal

'Sunday Times' diz que satélites de Israel identificaram carregamento de armas destinadas ao Hamas

TEL-AVIV, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2012 | 02h05

De acordo com o jornal britânico Sunday Times, satélites israelenses teriam identificado navios iranianos carregados de mísseis que poderiam, segundo analistas, estar a caminho de Gaza. A carga poderia incluir, além dos foguetes Fajr-5, mísseis Shahab-3, que agentes dos EUA e de Israel acreditam poderá, um dia, ter capacidade nuclear.

Os navios seguiriam a rota tradicional usada pelo Irã, que envia armamentos a Gaza pelo Mar Vermelho, via Sudão e Egito. "Acreditamos que os navios de guerra iranianos ancorados na Eritreia acompanharão a carga assim que ela chegar ao Mar Vermelho", disse uma fonte israelense citada pelo Sunday Times. No sábado, Mahmoud al-Zahar, braço direito do premiê palestino em Gaza, Ismail Haniyeh, disse que o cessar-fogo não impedirá o Hamas de continuar se armando com a ajuda de Teerã. "Não temos escolha", disse.

O descontentamento com o cessar-fogo que o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, negociou com o Hamas em Gaza pode ter lhe custado apoio eleitoral a poucas semanas das eleições de 22 de janeiro. O premiê, no entanto, ainda é o favorito para vencer a votação, segundo pesquisa divulgada no fim de semana. A sondagem do jornal israelense Maariv, a primeira desde a trégua que entrou em vigor na quarta-feira, mostrou que a coalizão de Netanyahu e Lieberman levaria 37 das 120 cadeiras no dia 22 de janeiro. A mesma pesquisa realizada antes dos oito dias de conflito em Gaza apontava que o partido levaria 43 assentos.

As eleições primárias realizadas ontem pelo Likud, partido de Netanyahu, foram marcadas por problemas técnicos e a votação foi estendida. No total, 123 mil membros foram convocados para votar e escolher a lista de candidatos à eleição de 22 de janeiro.

Ameaça. O líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, ameaçou ontem lançar "milhares de foguetes" contra Tel-Aviv e outras cidades israelenses se o governo de Israel atacar o Líbano. Em discurso em comemoração da Ashura, principal feriado do xiismo. Nasrallah disse que a resposta do Hezbollah superaria os ataques de Gaza. / AP, REUTERS e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.