Nawaz Sharif é impedido de descer do avião em Islamabad

Governo não sabe ainda se irá deportar novamente o ex-primeiro-ministro ou se será preso

Efe,

10 de setembro de 2007 | 03h08

Comandos paquistaneses cercaram nesta segunda-feira, 10, o avião no qual aterrissou, em Islamabad, o ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif. Todos os passageiros puderam desembarcar, exceto Sharif, informou a emissora local Geo TV.   Veja também:  Paquistão prende centenas antes de volta de ex-premiê   Segundo a Geo TV, vários funcionários de imigração e comandos entraram no avião, da companhia aérea Pakistan International Airlines, e pediram o passaporte do ex-primeiro-ministro, que se negou a entregá-lo.   Por enquanto, não existe a confirmação de que Sharif foi detido no avião ou se receberá a autorização para sair do aparelho. Se o ex-premier for autorizado a deixar o avião, será encaminhado à seção de imigração para receber o carimbo em seu passaporte.   Ainda não está claro o que o governo fará a respeito da chegada de Sharif, embora as duas opções mais prováveis, segundo fontes oficiais, sejam enviá-lo à Arábia Saudita ou detê-lo.   A emissora Geo TV informou que no aeroporto há um avião pronto para decolar, o que sugere que o Governo planeja enviar Sharif de volta ao país que o acolheu em dezembro de 2000, quando este aceitou trocar sua condenação à prisão perpétua pelo exílio.   No entanto, deportar Sharif mais uma vez representaria um desafio à Corte Suprema do Paquistão, que permitiu o retorno do ex-premier alegando que qualquer cidadão tem o direito de viver no país.   Por outro lado, deter o ex-primeiro-ministro seria uma medida temporária, porque as acusações contra Sharif antes de seu exílio foram retiradas quando ele viajou para a Arábia Saudita.   Nawaz Sharif, líder da Liga Muçulmana do Paquistão-Nawaz (PML-N), foi afastado em 1999 do poder em um golpe de Estado incruento por seu chefe de Estado-Maior, hoje presidente, o general Pervez Musharraf.   Por ocasião de sua chegada, o governo encarcerou centenas de ativistas de seu partido que iriam recebê-lo.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoNawaz SharifIslamabad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.