Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Nazista foi espião dos EUA, diz jornal

A versão de que Heinrich Mueller - alto chefe nazista e superior do "anjo exterminador" Adolf Eichmann - teria trabalhado para o serviço de espionagem norte-americano provocou comoção nos EUA, onde vários grupos exigem novas investigações do caso. A hipótese de que Mueller, desaparecido desde o final da Segunda Guerra e que supostamente teria se refugiado no Brasil, Paraguai e Argentina, foi divulgada pelo jornal alemão Welt am Sonntag. Segundo o diário, no início da Guerra Fria os serviços de inteligência militar norte-americanos quiseram aproveitar os conhecimentos do ex-membro da Gestapo sobre a União Soviética. "O governo dos EUA tem o dever moral, perante os que sofreram o Holocausto, de abrir uma investigação formal" sobre o caso, declarou Marvin Hier, do Centro Simon Wiesenthal de Los Angeles. Durante meio século, os caçadores de nazistas e os historiadores perseguiram Mueller: de toda a alta hierarquia do governo de Adolf Hitler, o ex-chefe da Gestapo, responsável pelo envio de centenas de milhares de judeus a Auschwitz e Buchenwald, é o mais importante que conseguiu "desaparecer".Oficialmente, Mueller morreu em Berlim; mas sua sepultura, aberta há 30 anos, continha apenas os restos de dois militares não identificados. Fontes do serviço secreto militar dos EUA dizem que Mueller foi capturado pelos norte-americanos em 1945 e misteriosamente libertado pouco depois. Desde então, segundo outros documentos de inteligência, o ex-chefe nazista teria sido visto na Alemanha Oriental, Tchecoslováquia, Suíça, Brasil, Paraguai e Argentina; também teria circulado pelo Cairo, Damasco, Washington e New Hampshire.Dentro de um mês, quando os Arquivos Nacionais de Washington publicarão o dossiê de 500 páginas da CIA sobre Mueller, o caso poderá sofrer uma reviravolta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.