Nazista foragido é condenado à perpétua

Chamado de "o engenheiro da solução final (extermínio dos judeus durante a 2ª Guerra Mundial)", o criminoso nazista austríaco Alois Brunner, hoje com 88 anos, foi condenado nesta sexta-feira à prisão perpétua pela Justiça francesa. Brunner está foragido e seu julgamento ocorreu à revelia.A sentença ditada pelo tribunal francês refere-se apenas a um dos crimes atribuídos ao nazista: o envio de 345 meninos judeus a campos de extermínio (Auschwitz e Bergen-Belsen) em 31 de julho de 1944.Os meninos, filhos de judeus que já haviam sido deportados, viviam em vários orfanatos espalhados pela capital francesa. Do total, 284 foram assassinados e cremados.É a segunda condenação à prisão perpétua aplicada a ele por um tribunal francês. Logo após a guerra, ele foi responsabilizado pela deportação de 120 mil judeus para campos de extermínio.Segundo o diretor do Centro de Documentação Judaica de Viena, o caçador de nazistas Simon Wiesenthal, Brunner, se ainda não morreu, vive provavelmente na Síria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.