Neblina e chuva paralisam busca de avião no Peru

Após dois dias de buscas, as equipes de resgate ainda não tinham hoje à noite nenhum sinal do avião Fokker F-28, que desapareceu na quinta-feira de manhã, na Amazônia peruana, com 46 pessoas a bordo. O chefe da operação de busca, coronel Juan Rodríguez, afirmou que as condições meteorológicas nos arredores da cidade de Chachapoyas dificultam os trabalhos por terra e ar.Rodríguez informou que o Fokker, da empresa Tans, controlada pelas Forças Armadas do Peru, não tinha sido avistado por nenhuma das equipes que realizam as buscas. Os helicópteros encarregados de procurá-lo regressaram à sua base, em Chachapoyas, porque a neblina e a chuva na região impedem a visibilidade.Rodríguez pediu calma aos parentes dos 42 passageiros e quatro tripulantes que estavam na aeronave, que planejaram se organizar em equipes de resgate para ir em busca de seus familiares. Segundo ele, as três brigadas de resgate que avançam por terra também enfrentam dificuldades, pois a lama e a chuva fazem com que a caminhada na mata seja mais lenta.O Fokker partiu de Lima com destino a Chiclayo e Chachapoyas, cidades localizadas ao norte da capital peruana. Os controladores de tráfego aéreo perderam o contato com a tripulação no momento em que o avião fazia a aproximação para o pouso em Chachapoyas. Nenhum alerta de emergência foi enviado pelos pilotos antes de o avião desaparecer na floresta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.