Negligência pode ter causado acidente nuclear no Japão

A turbina do reator da usina de Kansai Electric Power, em Mihama, que sofreu um vazamento de material não-radioativo na madrugada da segunda-feira, não era inspecionada desde 1996, apesar de apresentar sinais de que poderia representar um risco à segurança, afirmou o vice-gerente da planta, Akira Kokado, nesta terça-feira. Essas informações reforçam a suspeita de que o pior acidente já ocorrido em uma usina nuclear do Japão, que levou à morte de quatro pessoas e feriu outras sete, pode ter sido causado por negligência. A tubulação danificada estava bastante corroída e transportava água e vapor extremamente quentes.O acidente e possíveis violações na normas de segurança aumentam as preocupações em torno da confiabilidade das 52 plantas nucleares que atualmente operam no Japão e são responsáveis por cerca de um terço da produção de eletricidade no país. Segundo Kokado, empresas contratadas para inspecionar a planta notificaram, em abril de 2003, que já era extremamente necessário restaurar a turbina em questão. Em novembro do ano passado, a empresa programou uma revisão no equipamento para 14 de agosto, ironicamente, o sábado seguinte ao acidente. ?Achamos que poderíamos adiar as revisões até o fim do mês?, disse o vice-gerente, em comunicado à imprensa. ?Nunca esperaríamos uma corrosão tão rápida?. O governo japonês, que pretende construir mais 11 usinas nucleares até 2010, ordenou que as investigações do caso sejam conduzidas de maneira aberta. Em 1999, dois funcionários morreram durante um escape radioativo em uma planta a nordeste de Tóquio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.