Negociação com o Irã pode recomeçar sem os EUA

O grupo de seis países que tenta convencer o Irã a cumprir uma resolução do Conselho de Segurança da ONU e congelar suas atividades de enriquecimento de urânio estuda lançar mão de uma "pré-negociação", envolvendo apenas os governos do Reino Unido, França e Alemanha. O Estados Unidos, cujo governo é o principal crítico do programa nuclear iraniano, só entraria em cena caso essas consultas se convertessem numa negociação formal. As informação sobre essa estratégia serão publicadas na revista alemã Der Spiegel.Uma primeira sondagem seria feita, segundo a revista, pelo altorepresentante de Política Externa da União Européia, Javier Solana.Caso as conversações terminassem com sucesso, Paris, Londres eBerlim assumiriam a fase seguinte de consultas, e só no começo dasnegociações formais os Estados Unidos voltariam a participar.Caso fracasse esta complicada estratégia diplomática, seria"inevitável" o debate sobre sanções severas no Conselho de Segurançada ONU, como os Estados Unidos exigem, de acordo com fontesdiplomáticas alemãs citadas pela Der Spiegel.Este novo plano surgiu, segundo a publicação, durante um jantardos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU mais aAlemanha, realizado esta semana durante a Assembléia Geral dasNações Unidas. A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, não apoioudiretamente a proposta, mas indicou que a toleraria, segundo a DerSpiegel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.