Negociação entre sul-coreanos e Taleban será retomada terça

Há mais de um mês, 19 religiosos coreanos são mantidos como reféns no Afeganistão pela milícia islâmica

Agência Estado e Associated Press,

27 de agosto de 2007 | 14h38

Representantes do governo da Coréia do Sul e da milícia fundamentalista islâmica Taleban retomarão na terça-feira, 28, as negociações diretas na busca por uma solução para o seqüestro de 19 religiosos sul-coreanos capturados há mais de um mês no Afeganistão. O anúncio sobre a retomada das negociações diretas foi feito nesta segunda por Qari Yousef Ahmadi, que identifica-se como porta-voz do Taleban em contatos com a imprensa. Como nas duas rodadas anteriores de negociações diretas, o encontro ocorrerá em Ghazni, na região central do Afeganistão, e terá a mediação da Cruz Vermelha Internacional. Representantes do governo sul-coreano e da Cruz Vermelha não foram encontrados para comentar o assunto. Em 19 de julho, 23 religiosos sul-coreanos que realizam trabalhos voluntários no Afeganistão foram seqüestrados pelo Taleban durante uma viagem entre Cabul e Kandahar. Ao longo das últimas semanas, dois reféns foram executados e duas foram libertadas. Em troca da libertação dos reféns, o Taleban exige a retirada dos cerca de 200 soldados sul-coreanos no país e a soltura de milicianos detidos em prisões do governo afegão. Enquanto isso, um sargento holandês e dois soldados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) morreram em explosões e emboscadas ocorridas entre o domingo e esta segunda no Afeganistão. Pelo menos dez supostos rebeldes morreram nesses episódios.

Mais conteúdo sobre:
TalebanReféns sul-coreanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.