Negociação sobre troca de reféns prossegue em Israel

Representantes de Israel e do grupo islâmico Hamas asseguraram neste domingo que as negociações sobre troca de prisioneiros envolvendo um soldado israelense capturado há quase três anos por milicianos palestinos não terminaram, apesar de o diálogo mediado pelo Egito ter sido suspenso na semana passada.

EQUIPE AE, Agencia Estado

22 de março de 2009 | 18h17

Ao término das negociações, o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, em fim de mandato, disse ter considerado excessivas as exigências do Hamas para a libertação do sargento Gilad Schalit e disse que deixaria a questão para Benjamin Netanyahu, que deve sucedê-lo dentro de algumas semanas. O Hamas exige a libertação de centenas de palestinos detidos em penitenciárias israelenses. Numa cerimônia para marcar o milésimo dia da captura, o pai do soldado, Noam, implorou a Olmert que usasse o pouco que resta de seu mandato para dedicar-se à libertação do militar. Hoje, Mark Regev, porta-voz de Olmert, disse que o governo continua em busca de um acordo com o Hamas.

Na Faixa de Gaza, o primeiro-ministro Ismail Haniye, do Hamas, escreveu num artigo publicado no jornal local Al-Ray que a libertação ainda é possível. Enquanto isso, o líder do Hamas no exílio, Khaled Meshal, disse em entrevista ao jornal italiano La Repubblica que "é uma questão de tempo" até que o novo governo dos Estados Unidos estabeleça contatos com o Hamas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelHamasnegociação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.